Psiquiatria


A palavra Psiquiatria é derivada do Grego e significa “arte de curar a alma”; e dedica-se ao estudo, prevenção, atendimento, diagnóstico, tratamento e reabilitação de diferentes doenças de ordem mental que causam dor e sofrimento, físico e emocional ao indivíduo.

O psiquiatra é o médico de formação cujo o objetivo é aliviar o sofrimento e promover o bem estar psíquico de seu paciente, melhorando aspectos funcionais da vida de diante de uma determinada doença, tratando-o de forma gradativa e progressiva através de medicações específicas associado a sessões de psicoterapia.

Por via de regra, toda desordem mental, emocional e/ou comportamental leva a um sofrimento e prejuízo à vida do paciente, como baixo rendimento no trabalho ou nos estudos, isolamento social e familiar, impulsividade, agressividade, desanimo frequente, tristeza, sensação de vazio, etc.

Geralmente, o adulto tem maturidade suficiente para entender quando é necessário marcar uma consulta ao psiquiátrica, quando há resistência, familiares, colegas de trabalhos, ou cônjuge intervém para que o paciente possa ir a consulta e ser devidamente diagnosticado e começar o tratamento.

No entanto, quando falamos de crianças e adolescentes os primeiros a notarem alterações no comportamento os pais e/ou professores, e não raramente por encaminhamento de um profissional como psicólogo ou psicopedagogo. O que muitos pais desconhecem é que as mesmas patologias psiquiátricas enfrentadas por um adulto, podem ser manifestadas em crianças, como depressão, ansiedade, TOC, estresse, além dos transtornos de aprendizagem como o Déficit de Atenção e Dislexia.

Nestes casos, a parceria entre pais, psiquiatra, psicólogo e escola são fundamentais para o sucesso do tratamento. É compreensível que muitos pais possam temer que seu filho torne-se dependente da medicação prescrita ou da psicoterapia, porém o objetivo é justamente o inverso: tornar a criança mais confiante, independente e que possa trilhar seu caminho sozinha sem sofrimento.